segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Três de novembro de dois mil e quatorze, mais um dia.

Cá estou eu criando asas e saindo mais uma vez de dentro de você, e torço para ter esquecido algo por aí, quando percebi de fato esqueci, e foi a minha felicidade. O tempo continua a ferver e por aqui dentro chove, peço para que Deus tenha piedade de mim e me envie água, para que então eu possa lavar toda essa sujeira que habita em mim. 

Nenhum comentário: