sábado, 6 de abril de 2013

Estória.



Estava eu a caminhar, e percebi que estava sendo perseguida por alguém... Esse alguém hoje não é mais um simples alguém, ele faz parte de mim, está dentro de mim. Eu não queria que essa perseguição durasse por noves meses, aliás, não queria mesmo nem que tivessem durado onze minutos!
Você acabou com a minha vida, só tenho à te agradecer por acabar com ela que era tão tão mais tão bela, vou ter que levar o seu rosto pelo resto da minha vida, obrigada mesmo Sr Morador de rua por ter destruído com meus sonhos, agora vou olhar para ele todos os dias da  minha vida e lembrar de sua expressão que usava como forma de um socorro escuro, um olhar de falta de fé, falta de esperança, falta do nosso Pai. Somo irmãos, mas Deus irá te castigar assim como ele me castigou com esse momento que jamais será esquecido por mim, por você e pelo sol. É  sol, será o nome que darei a ele, por estar tatuado em seu ombro esquerdo o sol do dia, e pela lua da noite não ter me salvo das suas garras.
Borboletas voltem depressa!  

Nenhum comentário: